Aumento da umidade do solo favorece cenário para milho 2ª safra

O ciclo produtivo do milho segunda safra no Paraná segue favorável, com o aumento da umidade do solo no estado. De acordo com o 8º Levantamento da Safra de Grãos 2021/22, divulgado nesta quinta-feira (12/05/2022) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a estimativa de produção do cereal é de aproximadamente 16 milhões de toneladas. O aumento chega a um percentual de 146,8% se comparado com a safra passada. Esse crescimento alia uma maior área plantada com a forte recuperação esperada para a produtividade da cultura, uma vez que o ciclo anterior foi cultivado fora da janela ideal e fortemente impactado por estiagem e geada.

“Os prognósticos climáticos são de chuvas favoráveis até o final do ciclo do grão. No entanto, devemos ter atenção ainda com relação às possibilidades de geadas, principalmente em junho. Até o momento, as condições das lavouras são positivas. Foram relatadas áreas pontuais com enfezamento causado pelo ataque da cigarrinha do milho, tombamento de plantas provocado pelo ataque de fungos e acamamento por ventos e granizo”, ressalta o superintendente da Companhia no estado, Erli de Pádua Ribeiro.

Para o feijão segunda safra a produção também deverá apresentar um crescimento superior a 100%, saindo de 279 mil toneladas para 576 mil t. Assim como no caso do milho, a leguminosa apresenta maior área plantada e recuperação no desempenho das lavouras.

No caso das culturas de inverno, os produtores aproveitam as boas condições climáticas para iniciar o plantio. Dentre os grãos cultivados no estado paranaense, destaque para o trigo que já tem 3% da área semeada. Mesmo com a previsão de uma queda na extensão cultivada de 3,3%, chegando a 1,18 milhão de hectares, a produção deve ser acrescida em 2,9%, podendo chegar a 3,3 milhões de toneladas. O aumento acompanha a melhor produtividade esperada, saindo de 2.638 quilos por hectare para 2.807 kg/ha.

LEIA MAIS

DESTAQUES