Produtora de potássio da Jordânia planeja aumentar exportações do fertilizante para o Brasil

Uma comitiva do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), liderada pelo ministro Marcos Montes, visitou neste sábado (07/05/2022) a fábrica da Arab Potash Company (APC), na Jordânia, e recebeu a notícia de que a empresa poderá aumentar as exportações de potássio para o Brasil. Segundo o CEO da empresa, Maen Nsour, em cinco anos o total enviado ao Brasil poderá chegar a 1,2 milhão de toneladas. 

“Essa visita é um indicativo de que vamos construir uma relação estratégica de longa duração. Temos grandes planos para o mercado brasileiro, que é muito importante, não só porque queremos aumentar a exportação para esse mercado, mas porque percebemos a importância do Brasil na segurança alimentar da humanidade”, destacou Nsour, durante a visita. Segundo ele, neste ano a empesa deve exportar 320 mil toneladas de potássio para o Brasil.  

A visita do Mapa à Jordânia foi decisiva para a decisão da empresa em aumentar a oferta de potássio ao Brasil. A APC produz mais de 2,4 milhões de toneladas de potássio por ano. A Jordânia é o 7º maior produtor mundial de potássio.

Após conhecer o local de extração do potássio, o ministro Marcos Montes ressaltou a qualidade do fertilizante produzido pela APC. “Viemos aqui conhecer essa impressionante fábrica e estamos acertando para que ela continue fornecendo potássio ao Brasil”, disse, ressaltando a importância da cooperação da Jordânia com o Brasil. Durante a visita, o CEO da Arab Potash Company anunciou que a empresa deverá abrir um escritório no Brasil em breve para que as negociações com os importadores brasileiros fiquem mais próximas. 

As operações da APC estão localizadas a 110 km ao sul de Amã, onde a Companhia produz quatro tipos de potássio: potássio padrão, fino, granular e industrial. O embaixador do Brasil em Amã, Ruy Amaral, também participou da visita.   

O Brasil importa cerca de 85% de todo o fertilizante usado na produção agrícola nacional. No caso do potássio, o percentual importado é de cerca de 95%. Atualmente, o Brasil é o quarto consumidor e em 2021, as importações brasileiras de fertilizantes foram superiores a 41 milhões de toneladas, o que equivale a mais de US$ 14 bilhões. 

A comitiva do Mapa ainda vai visitar Egito e Marrocos noa próximos dias para tratar sobre o fornecimento de fertilizantes e a ampliação de investimentos no Brasil. 

LEIA MAIS

DESTAQUES