Regiões produtoras podem ser favorecidas com presença de chuva para trigo e escassez para colheita de algodão, feijão e milho

O impacto das chuvas concentradas nas regiões Norte e Sul do país e a predominância do tempo seco no Centro-Oeste poderão facilitar o desenvolvimento e a colheita de algumas culturas, como trigo, algodão, feijão e milho. É o que apresenta o Monitoramento Semanal das Condições das Lavouras, disponibilizado nesta primeira semana de setembro de 2021 pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com colaboração do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

A região Centro-Oeste, maior produtora de grãos no país, receberá maior precipitação de chuva no Sudoeste do Mato Grosso do Sul, onde serão beneficiadas as lavouras de trigo de sequeiro em enchimento de grãos. Pouca ou nenhuma chuva é o que é esperado para as demais regiões, favorecendo, no entanto, a maturação e colheita de algodão, milho 2ª safra, feijão 3ª safra e do trigo irrigado.

Para o Sudeste, os maiores acumulados estão previstos para o Rio de Janeiro, sul de Minas Gerais e sudeste de São Paulo. O trigo em floração e enchimento de grãos será beneficiado com o reduzido volume de chuvas previstas. Por outro lado, a maturação e colheita de algodão e milho 2ª safra serão favorecidas com a pouca chuva prevista para o período.

Em toda região Sul há previsão de ocorrer chuva, com maior acúmulo para o estado do Rio Grande do Sul, levando vantagens para o desenvolvimento vegetativo, floração e enchimento de grãos de trigo na maioria das regiões produtoras. No Paraná, algumas regiões demandam chuvas mais volumosas para o bom desenvolvimento do trigo, mas, em outras, a pouca chuva deve favorecer a maturação e colheita do milho 2ª safra. São boas as condições previstas para o início da próxima safra.

No Norte-Nordeste, a maior concentração de chuvas estará no Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. Na região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), a pouca chuva manterá as condições para o fim da maturação e colheita do algodão e do feijão 3ª safra. Já na Sealba (Sergipe, Alagoas e Bahia), a falta de água pode dificultar o enchimento de grãos, sobretudo nas lavouras de milho 3ª safra no interior.

LEIA MAIS

DESTAQUES