Aluno premiado comenta sobre participação em seis edições seguidas da Fecitec

Um dos alunos destaques da Feira de Ciência e Tecnologia de Palotina, é Felipe Kenji Nishioka Jojima. O jovem já participou de seis edições seguidas do evento e por isso lhe foi concedido um prêmio especial. Felipe conta que sua participação no início era por pura curiosidade. “Eu queria saber como seria essa experiência já que quando eu visitei eu vi muitos expositores que não tinham se identificados com o trabalho (ou pelo menos essa foi a impressão) e outros que pareciam alegres falando do projeto, por isso eu quis saber mais sobre como era desenvolver um projeto além de querer aprender mais sobre as pesquisas. Depois, durante o primeiro trabalho (se me recordo bem foi sobre a chuva ácida) eu me interessei pela pesquisa e, desde então eu faço trabalhos pela experiência da pesquisa, não à toa eu fiz em várias áreas para experimentar um pouco de cada uma. Existiram diversos desafios no meio, mas com incentivo principalmente de familiares e professores eu continuei participando da feira”, lembra.

Sobre as ideias, Felipe diz que as únicas ideias que vieram de temas que eu ouvi falar na mídia foram o carregador solar com placas de calculadora e os dois últimos temas (ensino remoto e relação da literatura com o momento que estamos vivendo), os demais vieram de ideias montadas com o grupo depois de observar o ambiente e questionar algumas situações.

Já sobre os desafios, o jovem aluno conta que o jeito com que eram feitos os trabalhos mudou na pandemia e o fato de não poder mais se reunir para fazer o trabalho o fez optar por uma ideia mais voltada à teoria, isto é, uma ideia que poderia ser desenvolvida com certa facilidade mesmo na pandemia pois, como a maior parte das pessoas tem celular, responder pesquisas se tornou uma boa ferramenta para um projeto durante o isolamento.

LEIA MAIS

DESTAQUES