Celebrações abrem a Semana Nacional da Vida na Diocese de Toledo

Começa neste dia 1º de outubro a Semana Nacional da Vida. O assessor diocesano da Pastoral Familiar, Pe. Nelton Hemkemeier, convida os fiéis a aproximarem-se do evento que se estenderá até dia 8, à luz do tema “Família Santuário da Vida”. Este tema foi escolhido pela Comissão Episcopal para a Vida e a Família, juntamente com a Comissão Nacional da Pastoral Familiar para reacender o valor e a inviolabilidade da vida humana e também reiterar a vocação da família como santuário da vida, conforme propostos por São João Paulo II na Encíclica Evangelium Vitae (1995).

“A Semana Nacional da Vida ajuda-nos a refletir e preparar o Dia do Nascituro, celebrado dia 8 de outubro”, lembra Pe. Nelton. O tema central da Semana desdobra-se em três dimensões: cuidar, proteger e defender a vida como Dom de Deus.

A motivação para o evento que acontece em todo o Brasil, do qual a Diocese de Toledo participa, propõe algumas sugestões para contornar a situação pandêmica do coronavírus sem deixar de celebrar esse momento. Cada paróquia tem liberdade para, com sua equipe, adaptar e realizar as atividades que forem possíveis, respeitando as normas de segurança sanitárias.

Com isso, a indicação é que a Semana Nacional da Vida seja aberta na Diocese de Toledo neste dia 1º de outubro com o badalar dos sinos em pelo menos três momentos: às 12h, às 15h e às 18h, acompanhado da “Oração do Nascituro” simbolizando assim a alegria em celebrar e valorizar a vida.

A missa de abertura acontece na mesma data em todas as paróquias, com a mensagem do bispo diocesano, reflexões sobre o tema “Família Santuário da Vida” e lançamento da campanha de motivação à doação de sangue e medula óssea, campanha esta sugerida pela Pastoral Familiar da Igreja no Paraná (CNBB Regional Sul 2). D. João Carlos Seneme, preside a celebração de abertura na Capela São João Batista, da Paróquia São Pedro e São Paulo, em Toledo.

No dia 8 de outubro, Dia do Nascituro – a vida em formação no ventre materno – será rezado o Terço Luminoso, um gesto para propagar a “Luz de Cristo” para que possa iluminar e proteger as vidas vulneráveis e indefesas. Conforme Pe. Nelton, a sugestão é que esse terço seja rezado preferencialmente em um espaço público ou em frente às igrejas, num sinal de esperança e, se possível, com bênção das gestantes e testemunho de acolhida familiar à vida nascente. “Confiemos na proteção e amparo da Sagrada Família de Nazaré e realizemos nossos trabalhos com o maior amor e cuidado, buscando sempre construir o Reino de Deus em nosso mundo”, salienta Pe. Nelton. A imagem que acompanha esta matéria é da celebração em 2019.

LEIA MAIS

DESTAQUES