Eleição em Francisco Alves (PR) termina com auditoria inédita nas urnas

Neste domingo (07/11/2021), 4.447 pessoas compareceram às urnas na eleição para Prefeitura de Francisco Alves (PR).

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), desembargador Tito Campos de Paula, membros da Corte Eleitoral, Ministério Público e o diretor-geral, Dr. Valcir Mombach, acompanharam as auditorias realizadas no município, com imagens transmitidas por cerca de 36 horas ao vivo pelo YouTube. O diretor-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Dr. Rui Moreira de Oliveira, também esteve no local.

A votação aconteceu das 7h às 17h e teve o resultado divulgado às 17h10 pela Justiça Eleitoral. Segundo o presidente Tito Campos, a eleição transcorreu na mais absoluta normalidade, sem ocorrências policiais e nem filas nos locais de votação, respeitando os protocolos de segurança sanitária.

Resultado

A coligação vencedora foi “Trabalho e competência, Francisco Alves no caminho certo”, formada pelos partidos PSDB e PSB, da prefeita Milena Silva Rosa (Milena do Valtinho) e do vice-prefeito Paulo Navero, com 2.096 votos (49,35%).

Milena tornou-se a mais jovem prefeita eleita do Paraná, com 23 anos. Antes dela o prefeito mais jovem era Lucas Machado, com 29 anos, do município de Reserva.

Também concorriam ao pleito a coligação “O início de um novo tempo”, formada pelos partidos REPUBLICANOS, PP, PSL, PL e PSD, com Liomar Mendes Lisboa (Cabelo do Povão) para prefeito e Juliano Vaz de Almeida (Cabeça) para vice-prefeito, com 1.942 votos (45,73%).

Pelo PTB, concorreram Valdir Barbosa Mellão (Valdir Perereca) para prefeito e Rubens Eugenio dos Santos para vice-prefeito, com 209 votos (4,92%). Nenhuma urna apresentou problemas técnicos e teve que ser substituída.

Foram registrados 4.247 votos válidos (95,50%), 67 votos brancos (1,51%) e 133 votos nulos (2,99%).

Os números finais da votação podem ser consultados na plataforma Resultados.

Auditoria de funcionamento da urna eletrônica

Na manhã deste domingo (7), teve início a auditoria de funcionamento da urna eletrônica, que verifica, em cerimônia aberta a toda a sociedade, a contagem, a captação e a apuração dos votos em uma urna eletrônica sorteada na véspera. Esse processo ocorre há 20 anos na Justiça Eleitoral do Paraná e foi realizado pela primeira vez em uma eleição suplementar. Também foi realizada, em uma seção eleitoral, uma auditoria nos sistemas da urna eletrônica.

Transparência

O juiz da 97ª Zona Eleitoral de Iporã, responsável pelo município de Francisco Alves, Dr. Fabrício Emanoel Rodrigues de Oliveira, explicou o procedimento da auditoria de funcionamento da urna. “No sábado, votos em cédulas de papel foram depositados em uma urna de lona e, neste domingo, foram lançados pela Comissão de Auditoria da Votação na urna auditada. Ao final do dia, o boletim de urna emitido por essa urna eletrônica comprovou que o resultado da votação de papel corresponde ao resultado da urna auditada”, disse.

O diretor-geral do TSE, Dr. Rui Moreira de Oliveira, disse que “a Justiça Eleitoral quer demonstrar para todas as pessoas que o processo é seguro”. Segundo ele, cidades como Francisco Alves, que têm um eleitorado relativamente pequeno, são ambientes ideais para esse tipo de demonstração.

Eleições suplementares no Brasil

Além de Francisco Alves, outros municípios brasileiros tiveram eleições suplementares neste domingo: Bandeirantes (MS), João Dourado (BA), Guamaré (RN), Carapebus (RJ), Tomé-Açu (PA) e Jaguaruana (CE).

Justificativa
Quem não votou deve justificar pelo aplicativoeTítulo ou pelo SistemaJustifica em até 60 dias, anexando documentação que comprove o motivo da ausência.

Entenda o caso

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou em setembro deste ano a convocação pelo TRE-PR de novas eleições o município de Francisco Alves. Valter Cesar Rosa (PSDB), candidato único eleito para a Prefeitura em 2020, foi considerado inelegível após ter as contas desaprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR).

LEIA MAIS

DESTAQUES