Palotina realiza manifestação e carreata no feriado de 7 de setembro

Às 9h da manhã do feriado de Independência do Brasil, dia 7 de setembro de 2021, a Praça Amadeo Piovesan de Palotina foi palco da concentração para leitura de uma carta de manifestação, seguida de carreata pelas ruas da cidade e também na Rodovia PR 182 até o trevo de acesso à C.Vale. Máquinas agrícolas e veículos fizeram um corredor em fila que tomou as vias de Palotina.

Leia na íntegra a carta lida em manifestação:

MANIFESTO DE 07 DE SETEMBRO

Nós, o povo brasileiro, voltamos às ruas neste 7 de setembro para pedir um basta. Estamos nos manifestando desde 2013, inicialmente para que se acabasse com a corrupção, mas depois percebemos que o sistema corrupto e podre deste país está firmemente enraizado nas nossas instituições públicas, atuando por um objetivo muito maior do que desviar recursos públicos, um plano comunista, que abrange o cerceamento das liberdades individuais e o controle total e absoluto do Estado sobre os cidadãos, o que é uma inversão de valores, ao invés do Estado obedecer a vontade do povo, querem que o povo obedeça a vontade dos que se apoderaram do Estado.

Não é de hoje que isso começou. São décadas de infiltração de pessoas mal intencionadas nas instituições públicas brasileiras, nos partidos políticos, nas escolas e universidades, nas artes, na imprensa, entre outros. Gradativamente, foram tomando conta de todas as instituições para influenciar, num primeiro momento os demais membros das instituições, e posteriormente, a forma de pensar do povo brasileiro. Um povo tradicionalista, conservador, mas que, aos poucos, foi sendo manipulado na sua forma de interpretar os acontecimentos e buscar soluções, sendo induzido a pensar que quanto mais forte fosse o Estado brasileiro melhor seria a solução dos problemas nacionais.

Porém, hoje, analisando o passado, percebemos que quanto mais Estado pior estão sendo os serviços prestados, maiores são os desvios de recursos públicos e menor é a liberdade do povo brasileiro. A continuar neste ritmo, será que está longe o dia em que teremos que pagar imposto para respirar?

Cansamos. Estamos aqui porque casamos e exigimos de nossos representantes públicos que alguma coisa seja feita com a máxima urgência para inverter esta sequência nefasta de fatos que são contra o desenvolvimento de nosso país e impedem que as oportunidades surjam para que as pessoas melhorem de vida. Sim, nós queremos melhorar de vida, mas pelo trabalho, não acreditamos que benefícios mágicos criados pelo Estado irão resolver os problemas sociais. Claro que o Estado precisa atuar como bombeiro em situações pontuais, mas apenas isso, nada além disso.

Temos um país maravilhoso, repleto de recursos naturais e com uma aptidão imensa para gerar riqueza ao seu povo, mas somos impedidos de utilizar estes recursos naturais na sua plenitude por pessoas que traem a nossa pátria por inocência ideológica e/ou por má fé, aqueles que recebem recursos de outros países para impedir que o gigante Brasileiro se levante em seu berço esplêndido, nos impondo o papel de eterna colônia tropical sub desenvolvida.

A riqueza não cai do céu e dividir tudo o que temos nos tornaria todos pobres. Para enriquecermos o povo precisamos gerar mais riquezas; já diz o ditado que “riqueza gera riqueza”, ou que “ninguém enriquece sozinho”. Esse é nosso objetivo, criar condições para que todos tenham oportunidades para melhorar de vida através do trabalho e só conseguiremos isso se diminuirmos, gradativamente, o tamanho do Estado brasileiro.

Quanto mais Estado, menor é a liberdade. Temos um poder paralelo que se apoderou do Estado brasileiro, impedindo que este atenda aos anseios do seu povo para saciar os interesses internacionais de nos manter como um gigante adormecido com o objetivo final de atentar contra nossa soberania e se apoderar de nossos valiosos recursos naturais. Analisando friamente, ainda não somos independentes, mas queremos nos tornar independentes o mais rápido possível.

Hoje queremos dar um novo “Grito do Ipiranga”. Quem deve dirigir as ações do Estado brasileiro é o povo brasileiro e todos aqueles que querem impedir isso devem ser retirados da vida pública e de nossas Instituições, seja ele um mal intencionado ou um inocente útil.

O povo brasileiro exige a liberdade que está escrita no Artigo 5º de nossa Constituição Federal. Não aceitaremos as restrições que ocorrem na Venezuela e na Argentina, onde a miséria foi compartilhada por todos e as pessoas precisam fugir de seus países para conseguir alimentar adequadamente suas famílias. Não. Não aceitaremos isso no Brasil.

A nossa pauta de reivindicações é a liberdade, o voto auditável com contagem pública dos votos, o direito à propriedade, o respeito à família, aos valores morais, à ética e às tradições, a limpeza das instituições do comunismo e a finalização do contorno viário de Palotina.

O voto auditável com contagem pública dos votos foi nossa pauta do manifesto anterior, e não há argumento contrário a ele por quem se declara democrático, afinal, o voto auditável com contagem pública dos votos é indiferente para aqueles que acreditam nas atuais urnas eletrônicas e é a solução para aqueles que não acreditam nelas, manifestar-se contra isso é uma declaração publica de que realmente há algo de errado no processo eleitoral atualmente utilizado no Brasil.

O direito à propriedade é um bem maior que permite que as escolhas individuais sejam recompensadas e que o fruto do trabalho de gerações seja respeitado pelos demais membros da sociedade; a banalização deste direito leva a insegurança jurídica que impede o desenvolvimento e o crescimento econômico, gerando um ciclo de pobreza que é nefasto para as gerações futuras.

O respeito à família, aos valores morais, à ética e às tradições faz parte de qualquer plano de governo que queira que seu país prospere. Quem não tem passado não terá futuro. O Brasil é um país riquíssimo em cultura popular e estamos vendo isto ser apagado de nosso dia a dia com o objetivo de se criar uma sociedade sem valores e sem princípios, isto para permitir a introdução de novos valores, estes voltados ao comunismo e não à liberdade e ao desenvolvimento nacional.

Precisamos limpar nossas Instituições públicas do comunismo. No STF e nas instâncias inferiores do Judiciário precisamos que a Constituição Federal e as leis sejam respeitadas, não aceitamos interpretações divergentes das leis, elas devem ser cumpridas apenas; havendo divergências quem deve ser convocado a se pronunciar e decidir o que vale é o legislativo, juízes e promotores devem responder por seus atos caso atuem equivocadamente como qualquer outra autoridade pública, e nada de esperar a última instância do processo judicial para se definir quem é culpado ou inocente, todos são inocentes até se provar o contrário, porém, quando a primeira instância já foi julgada, os culpados devem responder como culpados até provarem que são inocentes.

Na política nacional exigimos que a lei da ficha limpa seja cumprida, que os representantes eleitos respeitem suas propostas de campanha e que os partidos políticos coloquem o Brasil e o povo brasileiro acima dos seus interesses, o que só será resolvido quando for permitido candidatos sem partido.

Que nossas escolas e universidades sejam de ensino e aprendizado, sem viés ideológico e respeitando nossos valores e tradições.

Todas as reivindicações acima podem ser resumidas em uma única reivindicação, a liberdade. É a liberdade que está sendo retirada de nossas vidas gradativamente com as ações dos comunistas infiltrados nas nossas instituições públicas. É a nossa liberdade de escolher os nossos representantes políticos que a atual urna eletrônica tira, é nossa liberdade de expressão que o judiciário tira quando impede nosso direito democrático de expressar nossos pensamentos; nossa liberdade de ir e vir é ameaçada quando o legislativo ou o executivo promovem decretos que impedem nosso direito de ir e vir baseado em desculpas ridículas, a nossa liberdade de passar a nossos filhos nossos valores, tradições e costumes sendo corrompidos nas escolas e universidades por profissionais que são pagos com o suor de nosso trabalho, e a nossa liberdade de nos informar corretamente sobre os acontecimentos sendo corrompida por notícias mentirosas apresentadas em grandes veículos de comunicação, é a nossa liberdade de expressão sendo censurada por grandes companhias nas redes sociais.

E, finalmente, aproveitamos a manifestação popular deste dia para exigir explicações sobre a paralisação do contorno viário de Palotina. Queremos entender como uma obra com os recursos disponíveis não é finalizada e não recebemos nenhuma prestação de contas do Estado do Paraná sobre quanto já foi pago e o porquê de sua paralisação. Esta obra custa um valor insignificante perante o que nosso município arrecada anualmente de impostos para o Estado do Paraná. O descaso dos representantes públicos de nosso Estado à finalização desta obra é uma vergonha que resume bem o quanto precisamos evoluir politicamente em nosso país para sermos o país que o seu povo merece.

Obrigado e vamos à carreata, partindo aqui da Praça Amadeo Piovesan em direção ao trevo da C.Vale e retornando para a Avenida Presidente Kennedy.

Tenham todos um bom dia.
Obrigado e VIVA O BRASIL…

LEIA MAIS

DESTAQUES